Ronaldo Caiado fez papel de palhaço

Ouça todas as matérias deste portal, seja em trânsito ou em outra ocupação.

OUÇA ESTA E OUTRAS MATÉRIAS NO PORTAL 100% DIGITAL.

O governador do Estado de Goiás, Ronaldo Caiado, diz ter ouvido do Ministro Pazuello, que o governo Federal iria requisitar todas as vacinas produzidas ou importadas para o combate ao Coronavírus.

O twitter de Caiado:

O que aconteceu realmente?

Segundo fontes do Ministério da Saúde, essa foi uma hipótese realmente levantada por Bolsonaro – editar a MP do confisco – por ser, talvez, a única forma de “desmontar” o plano de João Doria, governador do Estado de São Paulo que foi à China, negociou a CoronaVac, acionou e organizou o Instituto Butantan de São Paulo, providenciou a compra, produção, logística e tudo que foi necessário para um trabalho efetivo e responsável no combate à pandemia que assola o país e o mundo, enquanto o governo Federal permaneceu inerte, negando a pandemia e trabalhando no sentido de minimizar a crise e até promovendo o movimento antivacina, inclusive com Jair Bolsonaro deixando claro e registrado que não vai tomar nenhuma vacina, por se tratar de uma “gripezinha”, e tudo que todos já viram e ouviram do negacionista.

A reação, dentro do Ministério da Saúde foi de rejeição a ideia. E os “conselheiros” do Planalto, recomendaram descartar a hipótese do tal confisco aventado, afirmando que poderia chegar ao Supremo Tribunal Federal o assunto e o risco que o Governo Federal correria aplicando tal ato.

Certamente, Pazuello, o general submisso e sem voz, que só obedece, no calor da preocupação de que Dória sairia “ganhando” na corrida, mostrando resultados efetivos, como tem mostrado, colocou na pauta da conversa (se não foi a única pauta), essa possibilidade de “confisco” e que seria uma grande jogada, única alternativa que surgiu na cabeça de Bolsonaro e daqueles que conspiram para que a parceria de São Paulo com a CoronaVac não dê certo, o que animou o governador de Goiás.

Ronaldo Caiado, muito preocupado com a vitória de Doria, como demonstrou claramente após a reunião dos governadores com o Ministério da Saúde, tuitou de forma contundente e a repercussão negativa sobre o “confisco” foi grande, o que fez Bolsonaro recuar, como sempre faz, na ideia absurda, deixando Caiado sozinho, com o desmentido anunciado pelo obediente Pazuello. Como se tratasse de um boato apenas. Boato este, disseminado por Ronaldo Caiado. O então fofoqueiro de plantão.

Muitos prefeitos do Estado de Goiás já tinham procurado o governador Doria manifestando intenção na compra da CoronaVac. Caiado também se voltou contra eles, o que o diminuiu e, após o desmentido do confisco, ordenado por Bolsonaro, viu que ficou perdido, em meio a toda essa situação de desespero em que se encontram os que politizam, sabotam e temem o sucesso político do Governador de São Paulo que fez, sozinho, o que não fez o presidente, os ministérios e toda a incompetente equipe sem voz que compõem o inerte governo atual.

Resumo da ópera

Caiado, com todo seu ciúme, embarcou na insanidade bolsonarista. Anunciou aos quatro ventos a vitória na certeza do confisco, se desgastou e, agora, resta-lhe continuar, não se sabe o que, e fingir que nada aconteceu, engolindo calado seu troféu de palhaço Caiado.

Celso B. Rabelo
Articulista e comunicador

%d blogueiros gostam disto: