Em videoconferência, Valeixo falou em tom de despedida

Ouça esta matéria, enquanto estiver em trânsito ou fazendo outra coisa!

Em reunião feita por videoconferência com Valeixo, chefes da PF de todos os Estados relataram que o tom da conversa foi de “despedida”. Valeixo é o braço-direito do ministro da Justiça e Segurança Pública Sergio Moro, que ameaçou entregar o cargo. 

O encontro é semanal e rotineiro entre os chefes da PF em todos os estados. Nele, Valeixo não cravou que estava deixando o posto e lembrou de outros momentos em que o presidente Jair Bolsonaro fez ofensivas ao seu cargo. Segundo fontes, o diretor-geral relatou já ter colocado o seu posto à disposição do ministro Sergio Moro. Valeixo lembrou ter dito que Moro “poderia tirá-lo se assim precisasse” e que “não iria ficar apegado ao cargo”. 

A gestão de Valeixo divide opiniões entre os superintendentes. Há quem ache boa, há quem ache ruim e concorde com a troca sugerida pelo presidente. Quem defende Valeixo, conta o fato dele ter impedido interferências políticas na corporação e o fato de ter “acabado com o estrelismo e a exposição desnecessária da PF em operações policiais”

Entre os nomes comentados pelos superintentendes para substituir Valeixo estão o delegado Fabiano Bordigon, atual diretor do diretor do Departamento Penitenciário Nacional (Depen); Anderson Torres, secretário de Segurança Pública do Distrito Federal, e  Alexandre Ramagem, chefe da Agência Brasileira de Inteligência (Abin).

Mas, quem conhece Bolsonaro, sabe que nada pode ser previsto, em se tratando daquele que a cada dia pensa de uma forma, surpreendendo a todos com decisões e atos dos mais inesperados e, até mesmo, dos mais ilógicos, a exemplo da substituição.

%d blogueiros gostam disto: