Donald Trump é eleito o novo presidente dos Estados Unidos da América

Ouça esta matéria, enquanto estiver em trânsito ou fazendo outra coisa!

Surpresa nas eleições americanas contrariou as previsões
Trump  venceu  Hillary

Ao atingir 276 x 218, é oficializado o anúncio do novo presidente da nação mais poderosa do planeta que lançou um emocionante discurso de agradecimento.

Trump contraria previsões e é eleito presidente dos Estados Unidos

Magnata, que prometeu construir um muro na fronteira com o México, expulsar imigrantes ilegais e proibir a entrada de muçulmanos nos Estados Unidos, será o 45º presidente do país após derrotar a democrata Hillary Clinton

NOVA YORK – O candidato republicano à presidência dos Estados Unidos, o magnata Donald Trump, surpreendeu a maioria dos prognósticos e foi eleito o 45º presidente do país na madrugada desta quarta-feira, 9. Ele contou com um bom desempenho em Estados-chave como Flórida e Ohio e vitórias surpreendentes em Michigan e Wisconsin para tirar os democratas da presidência. De acordo com projeções às 5h30, Trump conquistou o Estado de Wisconsin chegando a 276 delegados – 6 a mais do que os 270 necessários para ser eleito – contra 218 de Hillary.

Pouco antes da confirmação da eleição de Trump o diretor de campanha de Hillary Clinton, John Podesta, discursou para os apoiadores da democrata que acompanhavam a apuração no QG montado pelo partido em Manhattan e afirmou que ela não faria nenhum discurso nesta madrugada, adiando para quarta-feira o reconhecimento da derrota.  “Não teremos nada para dizer nesta noite (madrugada de quarta-feira no Brasil). Então me escutem: todos deveriam ir para casa e dormir. Teremos mais para falar amanhã”, disse Podesta.

O republicano Donald Trump será o 45º presidente dos EUA (FOTO: AFP PHOTO / Timothy A. CLARY)

O republicano Donald Trump será o 45º presidente dos EUA

O resultado da eleição deve provocar profunda mudanças nos Estados Unidos. Ao longo da campanha, sob o lema de “fazer a América grande outra vez”, o magnata prometeu construir um muro na fronteira com o México, expulsar imigrantes ilegais e proibir a entrada de muçulmanos nos Estados Unidos.

Além disso, Trump se mostrou favorável a isolar os Estados Unidos no cenário global, dando às costas a acordos comerciais e parcerias militares como a Organização do Tratado do Atlântico Norte (Otan). Apesar disso, o candidato se mostrou favorável a uma reaproximação com a Rússia de Vladimir Putin.

Ao longo da campanha, Trump recebeu apoio de ícones da extrema direita americana, como David Duke – ligado à Ku Klux Klan, entidade racista do sul dos EUA – e a milícias de extrema direita.  O candidato também prometeu prender Hillary caso assuma a Casa Branca.

Com discursos centrados nas frustrações e inseguranças dos americanos num mundo em mutação, tornou-se a voz da mudança para milhões deles. E ele fez explodir um Partido Republicano com dificuldades para entender seus eleitores e incapaz de encontrar um modo de parar o tornado Trump.

A reação prévia do mercado financeiro mostrou pânico
O presidente eleito mostra-se radical em alguns pontos e o mercado aguarda…

O índice Dow Jones, principal indicador do mercado americano, caiu 500 pontos, ou quase 3%, queda similar à das bolsas asiáticas.

A Bolsa de Tóquio chegou a cair nesta quarta-feira mais de 2% devido ao nervosismo gerado pela vantagem que o magnata abriu sobre a ex-secretária de Estado em vários estados considerados chave neste pleito.

O seletivo Nikkei caía 2,23%, para 16.788,90 pontos, por volta da metade do pregão. O Topix, segundo principal indicador, recuava 2,26%, para 1.332,64 pontos.

A bolsa havia aberto com números positivos, seguindo os passos de Wall Street na véspera e confiante em uma vitória de Hillary Clinton.

da Redação OEB
com Estadão conteúdo
e agências internacionais
%d blogueiros gostam disto: