Categoria: Ministério da Saúde

Coronavírus: Números atualizados

O Brasil ultrapassou a marca de 150 mil óbitos

Brasil

Total de casos
5.140.863
+27.235 – 24h
Recuperados
4.568.813
Mortes
151.747
+749 – 24h

Global

Total de casos
38.554.552
Recuperados
26.707.864
Mortes
1.092.864

Dados estatísticos do coronavírus (COVID-19)

Sobre esses dados:

Os dados mudam rapidamente e podem variar de acordo com o local

Os dados mudam rapidamente e podem não mostrar alguns dos casos que ainda não foram informados. Talvez você não veja dados sobre algumas áreas porque não há registros da publicação ou da coleta recente dessas informações. Como a disponibilidade dos dados varia de acordo com o local, os períodos de 14 dias podem começar em datas diferentes.

Os dados incluem casos confirmados e prováveis

Para alguns locais, a contagem total inclui tanto os casos confirmados quanto os prováveis. Os casos prováveis são identificados pelas autoridades de saúde pública com critérios desenvolvidos por órgãos do governo.

Os dados são atualizados constantemente com informações de recursos do mundo todo

Os dados vêm da Wikipédia, de ministérios da saúde, do The New York Times e de outras fontes confiáveis, conforme atribuído.

Os dados podem ser diferentes dos disponíveis em outros sites e fontes

Existem várias fontes que monitoram e agregam dados sobre o coronavírus. Essas informações são atualizadas em momentos distintos e talvez sejam coletadas de maneiras diferentes.

Da Redação O Estado Brasileiro

“Quem cria expectativas gera frustrações”!

COLUNISTAS – General Paulo Chagas

Caros amigos,

Durante a vida ouvi algumas vezes a frase que dá título a este texto. Deveria ter prestado mais atenção a ela, principalmente quando acreditei na sinceridade da mensagem “Brasil acima de tudo”, adotada na última eleição presidencial.

Hoje, frustrado e decepcionado, sou chamado de “desesperado” por aqueles que, tapando o Sol com a peneira, teimam em acreditar em estratégias mirabolantes elaboradas por “enviados de Deus” que, como gênios da lâmpada, atiram no que vemos para acertar no que só eles e seus iluminados enxergam.

Há algum tempo, ainda acreditando em rótulos, comprei livro da autoria de um conhecido astromante que prometia tirar da pasmaceira quem o tivesse lido.

Senti-me um perfeito idiota quando dei-me conta de que tinha apenas contribuído para assegurar a boa vida do autor no seu autoexílio.

Há lições que realmente são difíceis de serem aprendidas quando confrontadas com a esperança – principal criadora das expectativas e das suas frustrações.

Assisto, sem qualquer prazer, orgulho ou satisfação, ao desespero, este sim verdadeiro, dos falsos profetas e seus fiéis seguidores para esconder e distorcer a realidade, mudar planos e metas, fazer novas e impensáveis alianças para assegurar o mandato e o poder, ao custo da coerência e da fidelidade às principais promessas do protocolo de intenções que encantou quase 58 milhões de brasileiros em 2018.

Em que pese o sucesso das obras de saneamento básico propostas e executadas pelo Ministro da Infraestrutura, a fragilização e a demonização da Operação Lava Jato são as maiores evidências de que o projeto de saneamento moral da Nação não ultrapassou as barreiras da retórica e dos interesses pessoais e se transformou em lamentável frustração. O mesmo destino tomaram o programa Escola Sem Partido, a meritocracia e o fim do execrável Presidencialismo de Coalizão, com todo o pesar que causa aos que, como eu, acreditaram que se dera início ao fim da politicagem, dos conchavos, do populismo e da colocação de interesses pessoais acima de tudo!

Infelizmente a hora é da frustração e não da mudança que o discurso transformou em esperança diante da qualidade da equipe de governo que deu início ao que se pensava ser um “novo tempo”.

General Paulo Chagas
Colunista

Falcão defende Moro e Deltan

O ex-ministro da Justiça Sérgio Moro e o procurador federal Deltan Dallagnol não cometerem nenhum crime para estarem sendo acusados por ministros do STF, presidente da República, bolsonaristas do gabinete do ódio e pelo procurador-geral da República, Augusto Aras. Esta é a opinião do professor da FGV e membro da Academia Brasileira de Letras Joaquim Falcão, sétimo entrevistado na série Nêumanne entrevista neste canal. Ele sugeriu que o STF recupere sua credibilidade fazendo uma autorreforma na qual ponha fim a decisões autocráticas, plantões judiciários e pedidos de vista, sob pena de perder de vez a autoridade perante a cidadania. Ele também criticou a promiscuidade intolerável cometida pelo chefe do Executivo ao se reunir com os ministros Gilmar Mendes e Dias Toffoli, os presidentes do Senado, Davi Alcolumbre, e da Câmara, Rodrigo Maia, para consultá-los sobre a indicação do desembargador Kássio Marques para a vaga do decano do STF, que se aposentará.
Direto ao assunto. Inté.
E só a verdade nos salvará.

José Nêumane Pinto

Estado de São Paulo atinge 1 milhão de casos acumulados de covid-19

Desse total, 865.135 pessoas estão recuperadas

Governador João Dória

O estado de São Paulo atingiu um milhão de infectados pelo novo coronavírus desde o início da pandemia, neste sábado (3). Ao todo, o estado acumula 1.003.429 de casos confirmados de covid-19. Desses, 865.135 pessoas estão recuperadas, das quais 109.606 foram internadas e tiveram alta hospitalar. O total de mortes chegou a 36.136 pessoas. Os óbitos continuam concentrados em pacientes com 60 anos ou mais, totalizando 76,4% das mortes.

As taxas de ocupação dos leitos de unidades de Terapia Intensiva (UTIs) são de 42,4% na Grande São Paulo e 43,7% no estado. O número de pacientes internados no momento é de 8.721, sendo 4.974 em enfermarias e 3.747 em unidades de terapia intensiva, conforme dados das 11h deste sábado.

Com uma taxa de ocupação de leitos de UTI voltados para o tratamento de casos do novo coronavírus abaixo de 50% em todo o estado, o governo decidiu redirecionar parte desses leitos para o tratamento de outras doenças graves ou para cirurgias eletivas. O anúncio foi feito na última quarta-feira (30) pelo governador de São Paulo, João Doria.

Hoje, os 645 municípios têm pelo menos uma pessoa infectada, sendo 575 com um ou mais mortes. A relação de casos e óbitos confirmados por cidade pode ser consultada no site do governo estadual.

Histórico

Há pouco mais de sete meses, em 26 de fevereiro, o estado de São Paulo registrava o primeiro caso confirmado de covid-19 no país, um brasileiro que havia chegado da Itália. Este foi também o primeiro caso confirmado no país. No mesmo dia, o governo do estado criava o Centro de Contingência do Coronavírus – que, desde então, é o órgão responsável pela divulgação de dados e políticas públicas relacionadas à doença. 

Em 17 de março, o estado confirmou a primeira morte no país em decorrência do novo coronavírus, que também foi a primeira do país.

Poucos dias antes, em 13 de março, o governo paulista já havia decidido que as aulas da rede pública de ensino do estado e da prefeitura de São Paulo também fossem suspensas, gradativamente, a partir da segunda-feira seguinte, em 16 de março, fechando totalmente até o dia 23 de maço. A decisão foi tomada após a comprovação de que já havia em São Paulo a transmissão comunitária do novo coronavírus.

Aulas na capital

O prefeito de São Paulo, Bruno Covas, autorizou a retomada das aulas presenciais do ensino superior na cidade a partir do dia 7 de outubro. Na data também poderão ser retomadas as atividades extracurriculares das escolas públicas e particulares. Covas disse que a decisão foi tomada após avaliação da disseminação da doença na capital paulista, que está sendo acompanhado por pesquisas com testagem da população.

A volta às aulas nas faculdades e universidades deverá seguir as normas que foram estabelecidas no plano de flexibilização gradual da quarentena do governo estadual. A volta às aulas das escolas públicas e particulares ainda não tem data definida.

Os resultados do inquérito sorológico – que testou 6 mil alunos – mostraram que, na média, 16,5% dos 1,5 milhão de estudantes matriculados em escolas das redes pública e privada na cidade já tiveram covid-19, aproximadamente 244,2 mil jovens. O número de jovens que não tiveram sintomas da doença, apesar de terem desenvolvido anticorpos contra o vírus, ficou em 70,3% entre os estudantes da rede privada de ensino. Para os estudantes da rede estadual, o percentual cai para 64,1%, e 66,4% na rede municipal.

Vacina

Coletiva da Área do Governo e Área da Saúde.

Coletiva da Área do Governo e Área da Saúde.

 

Local: São Paulo/SP

Data: 23/09/2020

Foto: Governo do Estado de São Paulo
Governador Dória e representantes do laboratório Sinovac – Governo do Estado de São Paulo

Uma das vacinas com testes em andamento no Brasil atualmente, é fruto de parceria firmada entre o Instituto Butantan – do governo estadual – e o laboratório chinês Sinovac Biotech. A vacina, chamada de CoronaVac, está em fase adiantada de testes. O anúncio da potencial produção da vacina pelo governo de São Paulo ocorreu em 11 de junho.

A vacina já está na terceira etapa, chamada clínica, de testagem em humanos e está ocorrendo no Brasil desde julho, com 13 mil voluntários da área da saúde. Caso os testes comprovem a eficácia da vacina, ela precisará de uma aprovação da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) antes de ser disponibilizada para vacinação no Brasil.

A expectativa do governo paulista é de que a vacinação seja iniciada no dia 15 de dezembro deste ano. Os primeiros a serem vacinados serão os profissionais da área de saúde. Na última quarta-feira (30), Doria e o vice-presidente da laboratório chinês Sinovac, Weining Meng, assinaram um contrato que prevê o fornecimento de 46 milhões de doses da CoronaVac para o governo paulista até dezembro deste ano.

O contrato também prevê a transferência tecnológica da vacina da Sinovac para o Instituto Butantan, o que significa que, o instituto brasileiro poderá começar a fabricar doses dessa vacina contra o novo coronavírus.

Da Redação de O Estado Brasileiro
Fonte: Agência Brasil
Edição: Denise Griesinger

Michelle desviou verba para covid

O governo desviou para o programa de Michelle Bolsonaro 7 milhões e meio de reais que a Mafrig doou ao Ministério da Saúde para comprar 100 mil testes da covid-19. Segundo a Folha de S. Paulo, que deu esta notícia, a verba foi repassada para instituições missionárias evangélicas ligadas à ministro da Mulher, Família e Direitos Humanos, Damares Alves, sem edital de concorrência. Enquanto isso, a primeira-dama processa o conjunto Detonautas por ter gravado uma canção ironizando depósitos de 89 mil reais feitos na conta da prilmeira-dama pelo subtenente da PM-RJ Fabrício Queiroz, investigado pelo MP-RJ por uso de dinheiro público em negócios privados, corrupção passiva, lavagem de dinheiro e organização criminosa, à época em que era guarda-livros do gabinete do primogênito de seu amigo Jair Bolsonaro, Flávio, na Alerj. E o presidente da República ameaçou esmurrar a boca de um repórter que lhe pediu explicações sobre esse inusitado depósito.
Direto ao assunto. Inté.
E so a verdade nos salvará.

José Nêumanne Pinto

Planalto mente para defender Michelle

Escândalo Michelle Bolsonaro, Damares Alves, indicação a Ministro do Supremo…

Tentando justificar o desvio de uma doação da Marfrig, feita em março para atender a pedido do então ministro da Saúde, Mandetta, para ajudar governo a comprar 100 mil testes de covid-19, para o Programa Pátria Voluntária, presidido pela primeira-dama, Michelle Bolsonaro, a Secretaria de Comunicação da Presidência da República, afirmou em nota oficial que o Ministério da Saúde dispensou a doação por não ser mais preciso testar a população, A tentativa de justificativa é mentirosa, pois é pública e notória a baixa testagem, uma das mais fortes deficiências do governo no combate ao contágio do novo coronavírus. Uma das ONGs beneficiadas pela doação atuou contra o aborto da menina de dez anos, que ficou grávida após ser estuprada por um tio. A encarregada da ONG, Mariângela Consoli, informou que não pediu o dinheiro e não sabe quem a indicou para receber o benefício.
Direto ao assunto. Inté.
E só a verdade nos salvará.

José Nêumanne Pinto

Coronavírus – Dados atualizados

Brasil

Total de casos
4.718.488
+28.378
Recuperados
4.050.837
Mortes
141.441
+869

Global

Total de casos
32.886.465
Recuperados
22.759.961
Mortes
994.940

Sobre esses dados

Mudam rapidamente

Os dados mudam rapidamente e podem não mostrar alguns dos casos que ainda não foram informados.

Os dados incluem casos confirmados e prováveis

Para alguns locais, a contagem total inclui tanto os casos confirmados quanto os prováveis. Os casos prováveis são identificados pelas autoridades de saúde pública com critérios desenvolvidos por órgãos do governo. Talvez você não veja dados sobre algumas áreas porque não há registros da publicação ou da coleta recente dessas informações.

Os dados vêm da Wikipédia e de outras fontes confiáveis

Os dados vêm de fontes como a Wikipédia, ministérios da saúde, o The New York Times e outras fontes confiáveis, que podem ser adicionadas ao longo do tempo com atribuição. Os casos são atualizados constantemente com informações de recursos do mundo todo. Os relatórios sobre a situação diária também estão disponíveis no site da Organização Mundial da Saúde (link em inglês).

Por que vejo dados distintos em fontes diferentes?

Existem várias fontes que monitoram e agregam dados sobre o coronavírus. Essas informações são atualizadas em momentos distintos e talvez sejam coletadas de maneiras diferentes.

Da Redação de O Estado Brasileiro

Sinovac quer distribuir vacina na América do Sul junto com Butantan

Fabricante chinesa planeja fornecer produtos semifinalizados ao Brasil

A chinesa Sinovac Biotech espera fornecer sua vacina experimental contra a covid-19 para mais países sul-americanos ao terceirizar alguns processos de fabricação para o Instituto Butantan, ligado ao governo do estado de São Paulo, disse o presidente executivo da companhia, Yin Weidong, nesta quinta-feira (24).

Fabricantes globais de vacina, como a Sinovac e a AstraZeneca, fizeram parcerias para a realização de testes clínicos em estágio avançado de seus produtos no Brasil, que tem o terceiro maior número de infectados do mundo.

A Sinovac planeja fornecer produtos semifinalizados ao Butantan, que fará a formulação e o envase para o fornecimento da vacina a outros países sul-americanos, disse Yin Weidong, em entrevista coletiva.

A China incluiu a candidata a vacina da Sinovac, a CoronaVac, em seu programa de uso emergencial lançado em julho, mas os testes em estágio avançado no exterior ainda não foram concluídos, o que levantou dúvidas em relação à segurança entre especialistas.

Nessa quarta-feira (23), o governador de São Paulo, João Doria, disse que dos 50 mil voluntários que participaram de testes com a CoronaVac na China, 94,7% não apresentaram qualquer reação adversa e que, no Brasil, até o momento, nenhum voluntário que participa do estudo teve qualquer efeito colateral. Ele espera que a imunização comece em São Paulo em dezembro.

Yin disse que a Sinovac está disposta a colaborar e compartilhar dados com outros países sobre o uso emergencial da vacina, se eles precisarem de programas desse tipo. Acrescentou que a empresa mantém conversas com o Chile e com outros países para a realização de estudos clínicos de Fase 3, mesma etapa que está sendo feita no Brasil e que é a última antes do pedido de registro nos órgãos reguladores.

“Diferentes países têm suas próprias opções sobre autorização para uso emergencial”, disse Yin, acrescentando não saber se eles seguirão o exemplo da China.

Fonte: Agência Brasil

Saúde atualiza novamente procedimentos para aborto no SUS

Portaria foi publicada hoje no Diário Oficial da União

Fachada do Ministério da Saúde na Esplanada dos Ministérios

O Ministério da Saúde atualizou, novamente, os procedimentos de justificação e autorização da interrupção da gravidez, nos casos previstos em lei, no âmbito do Sistema Único de Saúde (SUS). A Portaria nº 2.561/2020, do Ministério da Saúde, foi publicada hoje (24) no Diário Oficial da União e, diferente da norma anterior, não prevê o dever da equipe de saúde em informar à gestante sobre a possibilidade de visualizar o feto ou embrião por meio de ultrassonografia.

O novo texto publicado nesta quinta-feira substitui a Portaria nº 2.282/2020 editada pelo governo em agosto, que já atualizava os procedimentos de aborto no SUS em vigor desde 2005.

A norma editada no mês passado previa que, antes de aprovar a interrupção da gravidez, a equipe médica deveria informar a gestante acerca da possibilidade de visualizar o ultrassom. Para isso ela deveria proferir expressamente sua concordância, de forma documentada. Esse procedimento não era previsto na norma de 2005 e gerou controvérsia de organizações que defendem o aborto legal. Agora, com a nova atualização, deixa de ser obrigatório novamente.

Lei

No Brasil, o aborto é permitido por lei nos casos em que a gestação implica risco de vida para a mulher, quando a gestação é decorrente de estupro e no caso de anencefalia. De acordo com a portaria do Ministério da Saúde, os procedimentos de justificação e autorização devem ser seguidos para garantir a licitude do aborto e a segurança jurídica aos profissionais de saúde envolvidos. Isso incluiu os casos em que a gestação envolve riscos de morte da mulher, o que também não estava previsto na norma de 2005, mas foi adicionado na norma do mês passado e continua mantido na nova atualização.

Outra mudança feita na norma anterior e mantida é a obrigatoriedade de médicos, profissionais de saúde ou responsáveis por estabelecimento de saúde notificarem a polícia sobre casos em que houver indícios ou confirmação de estupro. A notificação compulsória dos casos de suspeita de violência contra a mulher também já é prevista na Lei nº 13.931/2019.

Além disso, esses profissionais deverão preservar possíveis evidências materiais do crime de estupro, a serem entregues imediatamente à autoridade policial, como fragmentos de embrião ou feto, para a realização de exames genéticos que poderão levar à identificação do autor do crime.

Procedimentos

O Procedimento de Justificação e Autorização da Interrupção da Gravidez nos casos previstos em lei possui quatro fases que deverão ser registradas no formato de termos confidenciais, arquivados anexos ao prontuário médico.

A primeira fase é o relato sobre as circunstâncias do crime de estupro, realizado pela própria gestante perante dois profissionais de saúde do serviço. O Termo de Relato Circunstanciado deverá conter local, dia e hora aproximada do fato, tipo e forma de violência, descrição dos agressores, se possível, e identificação de testemunhas, se houver.

Na segunda fase, serão feitos exames físicos e ginecológicos pelo médico responsável, que emitirá parecer técnico. A gestante também deverá receber atenção e avaliação especializada por parte da equipe de saúde multiprofissional, composta por obstetra, anestesista, enfermeiro, assistente social e/ou psicólogo. Três integrantes dessa equipe subscreverão o Termo de Aprovação de Procedimento de Interrupção da Gravidez, que não poderá ter desconformidade com a conclusão do parecer técnico.

A terceira fase é a assinatura do Termo de Responsabilidade, que conterá a advertência expressa sobre a previsão dos crimes de falsidade ideológica e de aborto, previsto no Código Penal, caso não tenha sido vítima do crime de estupro.

A quarta fase se encerra com o Termo de Consentimento Livre e Esclarecido, que deverá conter a declaração expressa sobre a decisão voluntária e consciente da gestante de interromper a gravidez. Para isso, a mulher deve ser esclarecida, em linguagem acessível, sobre os desconfortos e riscos possíveis do aborto à sua saúde; os procedimentos que serão adotados para a realização da intervenção médica; a forma de acompanhamento e assistência, assim como os profissionais responsáveis; e a garantia do sigilo quanto aos dados confidenciais envolvidos, passíveis de serem compartilhados em caso de requisição judicial.

Todos os documentos que integram o Procedimento de Justificação e Autorização da Interrupção da Gravidez deverão ser assinados pela gestante, ou, se for incapaz, também por seu representante legal. Eles serão elaborados em duas vias, sendo uma entregue à gestante.

Fonte/Matéria autorizada: Agência Brasil
Edição: Maria Claudia

#002 – Entrevista Deputado Paulo Ganime para Estado de Coisas

VÍDEO –

ESTADO DE COISAS entrevista o Deputado Federal Paulo Ganime. A Câmara de Deputados em Brasília e sua atuação. Os desafios diante de tantos projetos e a relação com o Governo Federal. Análise do momenmto atual, a pandemia que impediu andamentos de projetos, antes, prioritários, a perseguição ao Ministério Público Federal e suas consequências, a LAVA JATO – sua atuação e seu futuro. E muito mais neste programa. Siga nosso canal, inscreva-se e acompanhe o portal de notícias O ESTADO BRASILEIRO em: www.oestadobrasileiro.com.br

Carregar mais