ABIN conclui as 63 avaliações de riscos previstas para a Rio 2016

ABIN conclui as 63 avaliações de riscos previstas para a Rio 2016
Número foi apresentado em coletiva concedida a jornalistas brasileiros e estrangeiros

A ABIN conclui os 63 Relatórios de Avaliações de Riscos voltados à Segurança dos Jogos Rio 2016. O número foi divulgado pelo diretor-geral da ABIN, Wilson Roberto Trezza, em entrevista coletiva concedida a jornalistas brasileiros e estrangeiros na última quarta-feira – 13 de julho.

A Agência difundiu o último documento da lista nesta semana, completando a meta de avaliações de riscos planejadas para o período prévio às Olimpíadas. As análises identificam possíveis ameaças a locais de competições e a instalações ligadas ao dia a dia dos Jogos: estádios, ginásios, hotéis, aeroportos, rodovias, centros de treinamento, Vila dos Atletas.

“É um trabalho de fundamental importância, no qual a ABIN faz uma prospecção das possíveis ameaças ao grande evento. Esse levantamento é consolidado em relatórios de avaliação de riscos e são encaminhados para os gestores da área de defesa e de segurança pública”, explicou o diretor-geral na coletiva.

“Com base nessas avaliações de risco, são feitos os planejamentos das ações de defesa e de segurança para as Olimpíadas”, complementou.

 

Diretor-geral da ABIN, ministro do GSI e diretor do DISBIN apresentaram números em entrevista

Metodologia

A metodologia ARENA (Avaliação de Riscos com Ênfase na Ameaça), desenvolvida pela ABIN, foi utilizada durante todo o processo.

Profissionais de Inteligência avaliaram as vulnerabilidades e testaram os sistemas de proteção dos locais. Fontes de ameaça foram identificadas e checklists aplicados durante visitas técnicas. Ao final, recomendações sobre como sanar eventuais falhas de segurança foram repassadas aos organizadores.

Coletiva

A entrevista coletiva concedida pela ABIN e pelo Gabinete de Segurança Institucional (GSI) reuniu a imprensa para apresentar a estrutura montada pela Inteligência brasileira para os Jogos Olímpicos.

Jornalistas conheceram o Centro de Inteligência Nacional (CIN), localizado na sede da ABIN – em Brasília/DF –, e questionaram Trezza, o ministro do GSI, Sérgio Etchegoyen, e o diretor do Departamento de Integração do SISBIN, Saulo Moura da Cunha, sobre a preparação para a Rio 2016.

 

da Redação OEB
com Agência Brasileira de Inteligência
%d blogueiros gostam disto: