Trump versus Hillary – a acirrada disputa americana

O republicano Donald Trump passa a democrata Hillary Clinton em 3 pontos. E o mundo acompanha com muita atenção a eleição que poderá mudar muita coisa no tratamento de tudo que envolve a política internacional.
Trump, no início, era desacreditado por todos que não vive na terra do Tio San. Seu comportamento retratava uma figura cômica, extravagante, que jamais ganharia a confiança do povo americano.
Mas as ameaças que circundam o planeta, levaram os eleitores a tender para um candidato mais radical no tratamento dos desafios que ele tanto confronta com discursos de quem tem o poder para combater.

Enfim, em política tudo se define somente no último momento e todos esperam o resultado final.

O candidato republicano à presidência dos EUA, Donald Trump, lidera a corrida eleitoral do país sobre a rival democrata Hillary Clinton por três pontos em uma nova pesquisa publicada nesta segunda-feira (25), enquanto outra enquete mostra ambos políticos empatados em intenções de voto para as eleições de novembro.

Donald Trump e Hillary Clinton

A diferença, apesar de pequena, se não mudar, levará Trump a ser o próximo presidente da maior e mais poderosa nação do planeta, para preocupação de muitos, depois de todos os discursos proferidos por aquele que é visto, por uma imensa maioria, como um radical.

As duas pesquisas foram divulgadas pouco depois de Trump obter a indicação republicana em Cleveland (Ohio) na semana passada e horas antes do início da convenção democrata na Filadélfia, onde Hillary será proclamada oficialmente candidata do partido.

Na primeira, publicada pela emissora CNN e realizada entre sexta-feira e domingo, Trump obtém 48% das intenções de voto contra 45% de Hillary, o que reflete um aumento nos apoios ao magnata depois da convenção republicana que termina na quinta-feira em Cleveland.

Os pesquisadores da CNN também perguntaram aos eleitores a quem apoiariam se pudessem escolher entre os outros dois candidatos de partidos menores: o libertário Gary Johnson e aspirante dos verdes, Jill Stein.

Nesse caso, a vantagem de Trump aumentaria, com 44% dos apoios contra 39% de Hillary, enquanto Johnson teria 9% de respaldo e Stein 3%.

O resultado é o mais favorável para Trump nas pesquisas da CNN desde setembro de 2015, e a emissora atribui isso em grande parte ao aumento no apoio ao magnata por parte dos eleitores independentes, entre os quais 43% disseram mais inclinados a respaldá-lo depois da convenção republicana.

A pesquisa também reflete uma melhora na imagem do candidato republicano: 46% dos eleitores têm uma opinião favorável de Trump, contra 39% que diziam o mesmo antes da convenção; e 43% o consideram honesto e merecedor de confiança, algo que no caso de Hillary só compartilham 30% dos indagados.

A outra pesquisa publicada hoje, encarregada pela rede de televisão CBS News e desenvolvida também entre na sexta-feira e no domingo, mostra os dois candidatos empatados com 42% das intenções de voto nas eleições de novembro.

Nessa pesquisa, 38% dos eleitores definiram Trump como honesto e merecedor de confiança, enquanto 29% disseram o mesmo sobre Hillary.

É habitual que o apoio ao candidato republicano suba um pouco depois da convenção, embora em 2012 o então candidato do partido, Mitt Romney, não melhorou seu apoio após essa reunião.

Nas últimas décadas, o aumento em apoio aos candidatos republicanos depois das convenções foi muito leve, com a única exceção de George W. Bush, que em 2000 ganhou 8 pontos percentuais após obter a indicação e depois venceu as eleições.

Segundo a média de pesquisas nacionais elaborada pelo site Real Clear Politics, Trump tem atualmente dois décimos de vantagem sobre Hillary em intenções de voto, enquanto há um dia era a ex-secretária de Estado que liderava a corrida com 1,4% ponto a mais de apoios que o magnata.

A pesquisa da CNN tem uma margem de erro de mais ou menos 3,5 pontos percentuais, enquanto a da CBS News é de mais ou menos 3 pontos.

da Redação OEB
com fonte Agência EFE

Comentários no Facebook