Pelo menos 77 mortos e 588 feridos em terremoto no Equador

Epicentro de 7,8 graus na escala aberta de Richter ocorreu próximo à cidade de Muisne, a 170 quilômetros de Quito

QUITO – Pelo menos 77 pessoas morreram e 588 ficaram feridas como consequência do terremoto de 7,8 graus na escala aberta de Richter que castigou o norte da região litorânea do Equador no sábado, e que também causou múltiplos danos materiais que ainda estão sendo avaliados.

Várias casas foram destruídas após terremoto no Equador
Várias casas foram destruídas após terremoto no Equador

O vice-presidente do país, Jorge Glas, em pronunciamento aos meios de comunicação, ressaltou que o número de mortos poderia aumentar devido aos danos gerados na área do epicentro. “Não há alerta de tsunami, mas um alerta preventivo em alguns lugares da costa por causa da possível subida da maré”, afirmou.

Ele disse que a situação é particularmente “complexa” no balneário litorâneo de Pedernales, na zona do epicentro, aonde as equipes de resgate e ajuda tiveram dificuldade de chegar.

Segundo o Serviço Geológico dos EUA (USGS), o epicentro ocorreu próximo à cidade de Muisne, localizada a 170 quilômetros da capital Quito, em uma região de pesca popular entre os turistas, mas pouco habitada.

De acordo com o Centro de Alerta de Tsunamis do Pacífico, o terremoto gerou ondas perigosas nas costas do Equador e da Colômbia. Na capital, o tremor foi sentido por cerca de 40 segundos e as pessoas deixaram os prédios e foram às ruas com medo. Casas foram destelhadas, vários bairros ficaram sem energia elétrica nem cobertura de celular.

Ao menos uma casa e um viaduto desmoronaram na cidade portuária de Guayaquil. Mas não houve relatos de mortos ou feridos. Vários tremores secundários, alguns de 5,6, ocorreram após o primeiro terremoto. / AP e EFE

da Redação OEB
com agências AP e EFE

Comentários no Facebook