David Cameron renuncia após o Reino Unido deixar a União Europeia

O primeiro-ministro britânico David Cameron

David Cameron renuncia após britânicos decidirem deixar UE e a preocupação de um efeito dominó em outros países ameaça setores políticos e da economia.
‘Não penso que é certo ser o capitão que comandará nosso país para este próximo destino’, disse. O primeiro-ministro britânico anunciou que irá deixar o cargo em outubro

O primeiro-ministro britânico, David Cameron, anunciou nesta sexta-feira que irá renunciar ao cargo até outubro, após os britânicos votarem a favor de deixar a União Europeia (UE) em um referendo. “Não penso que é certo ser o capitão que comandará nosso país para este próximo destino”, disse Cameron a repórteres do lado de fora de seu gabinete no número 10 da Downing Street, em Londres. “A vontade do povo britânico é uma instrução que deve ser cumprida. Eu quero o bem deste país e estou honrado por ter servido e vou fazer tudo o que puder no futuro para ajudar este grande país prosperar”, afirmou.

Cameron também informou que as negociações com Bruxelas para estabelecer o processo de ruptura do Reino Unido da UE deverão acontecer com outro líder, que deverá ser eleito no de outubro, quando será realizado o congresso do Partido Conservador para escolher o político que irá substituir o premiê. “Agora que a decisão de sair foi tomada, precisamos encontrar a melhor maneira para fazer isso”, disse, informando que o governo se reunirá na próxima segunda-feira.

Leia também:
O Reino Unido está fora da União Europeia, na decisão histórica do referendo

Além disso, Cameron se preocupou em tranquilizar o Reino Unido afirmando que não haverá “mudanças imediatas no livre movimento de cidadãos, mercadorias e serviços”. Visivelmente emocionado e segurando na mão de sua mulher Samantha, Cameron enumerou as qualidades do Reino Unido. “O Reino Unido é um país especial, temos tão grandes vantagens, uma democracia parlamentar na qual resolvemos os grandes problemas sobre nosso futuro através de um debate pacífico, uma grande nação comercial com nossa ciência e as artes”, disse.

O Reino Unido deixará a União Europeia após 52% dos britânicos optarem pela ruptura, contra 48% que defendiam a permanência no bloco comunitário. Os eleitores que deram o “sim” para a saída da UE chegaram a 17.410.742 votos enquanto os que defendiam a permanência somaram 16.141.241.

da Redação OEB
com Veja.com

 

Comentários no Facebook