Category: Gen Heleno

jun 18

Vídeo 007 Generais Heleno e Rocha Paiva deixam claro a quem cabe a iniciativa para intervenção

Os Generais Heleno e Rocha Paiva deixam claro a quem cabe o pedido de intervenção das Forças Armadas. Os três poderes e a consequência da iniciativa das próprias Forças Armadas.

REAÇÃO DEMOCRÁTICA [#007] General Heleno Fala à Nação
Quarta, 15 de junho de 2016 às 21:00h ao vivo
Videoconferência com a equipe de O ESTADO BRASILEIRO
via Google Hangout com transmissão simultânea através
das rádios da Rede Movimento de Comunicação
Pauta:
– Amazônia
– Política indigenista
– Intervenção Militar
– Quadro político atual

Assista a vídeo conferência completa em:

acesse-o-arquivo
gen augusto heleno

 

jun 14

Vídeo de chamada – REAÇÃO DEMOCRÁTICA [#007] General Heleno Fala à Nação 15/jun 21h

Quarta, 15 de junho às 21:00h ao vivo
Videoconferência com a equipe de O ESTADO BRASILEIRO
via Google Hangout com transmissão simultânea através
das rádios da Rede Movimento de Comunicação
Pauta:
– Amazônia
– Política indigenista
– Intervenção Militar
– Quadro político atual

Assista a videoconferência completa clicando abaixo:

reacao-democratica-700

Augusto Heleno Ribeiro Pereira (Curitiba, 29 de outubro de 1947) é um general-de-exército do Exército

Brasileiro da reserva. Foi comandante militar da Amazônia e Chefe do Departamento de Ciência e Tecnologia.

Tem posições claramente críticas com relação às políticas oficiais, particularmente com relação à atitude da comunidade internacional com relação ao Haiti e à política indigenista do governo brasileiro.

Carreira Militar

Graduou-se aspirante-a-oficial de cavalaria em 1969, na Academia Militar das Agulhas Negras, sendo o primeiro colocado de sua turma de cavalaria. Foi também o primeiro colocado de sua turma de cavalaria na Escola de Aperfeiçoamento de Oficiais (EsAO) e na Escola de Comando e Estado-Maior do Exército (ECEME),

recebendo por isso a medalha Marechal Hermes de prata dourada com três coroas. No posto de major, integrou a missão militar brasileira de instrução no Paraguai. Como coronel, comandou a Escola Preparatória de Cadetes do Exército (EsPCEx), em Campinas, e foi adido militar da Embaixada do Brasil em Paris, acreditado também em Bruxelas. Como oficial-general, foi comandante da 5ª Brigada de Cavalaria Blindada e do Centro de Capacitação Física do Exército, chefe do Centro de Comunicação Social do Exército e do Gabinete do Comandante do Exército.

De junho de 2004 a setembro de 2005, foi o primeiro comandante militar da Missão das Nações Unidas para a Estabilização no Haiti (MINUSTAH), constituída de um efetivo de 6250 capacetes azuis de 13 países, dos quais sete latino-americanos. Da mesma forma que o embaixador chileno Juan Gabriel Valdés, representante especial do secretário-geral da ONU e chefe da missão, e dos governos de países latinos, o General Heleno expressou sua discordância quanto à estratégia adotada pela comunidade internacional em relação ao Haiti.[1] Sucedeu-o, no comando da MINUSTAH, o general Urano Teixeira da Mata Bacelar, que acabaria por suicidar-se em Porto Príncipe, quatro meses depois, em janeiro de 2006. Em 2006, deu uma palestra na polêmica Escola das Américas.

Como comandante militar da Amazônia, o general Heleno contestou a política indigenista do governo Lula, que qualificou de “lamentável para não dizer caótica”, durante palestra no Clube Militar, no Rio de Janeiro, à época da demarcação da terra indígena de Raposa/Serra do Sol. Afirmou que os índios “gravitam no entorno dos nossos pelotões porque estão completamente abandonados”.

Em 9 de maio de 2011, numa cerimônia no Quartel General do Exército em Brasília, passou para a reserva e defendeu o movimento militar de 1964.[4] , após 45 anos de vida militar.

Atuou como consultor de segurança e assuntos militares do Grupo Bandeirantes de Comunicação, onde também colaborava com comentários na programação das emissoras.

Atualmente exerce o cargo de diretor de comunicação e educação corporativa do COB (Comitê Olímpico Brasileiro).

abr 27

A calúnia de sempre – Gen Augusto Heleno

Gen Augusto Heleno

gen augusto helenoEsse governo e, principalmente, os dois gurus da petralhada têm o hábito de mentir  descarada e diariamente. A Rede Brasil é paga com nosso dinheiro para tecer loas aos vermelhinhos de qualquer espécie e torcer os fatos em prol da perpetuação do PT no poder.

Recentemente, distorceu as palavras do Cmt EB, na palestra que proferiu na UNICEUB, em Bsb. É uma emissora bolivariana. Ainda bem que é traço eterno de audiência.

Ontem a Sra Rousseff teve o desplante de dizer que quer a união, a harmonia e que nunca incitou a discórdia. Como pode ser tão cínica e dissimulada. Realizou eventos no Palácio do Planalto, onde parceiros seus incitaram a guerra civil. E ela abraçou-os calorosamente.

Leia também:
O que exigir de Michel Temer? – Gen Paulo Chagas
Temer não vai interferir na Lava Jato e descarta nomes contrários à operação
General entra com representação contra deputados que exaltaram Prestes, Marighela e Lamarca
General pede que Dilma dê explicações sobre atentado em 68
Temer & Forças Armadas – próximo Ministro da Defesa passará pela aprovação do Alto Comando

Ainda não entendeu, porque é curtinha de cabeça, que para ser denunciada por crime de responsabilidade não precisa assaltar (aliás sua especialidade quando terrorista) banco, ter conta na Suíça, furtar celular no meio da rua ou praticar um sequestro. Basta um delito econômico que viole as leis. No caso específico dessa senhora, a manipulação premeditada do orçamento, as pedaladas fiscais, o estelionato eleitoral bastariam, não só para tirá-la da Presidência, como para sentá-la no banco dos réus. Quantas crianças e idosos podem ter falecido por conta da falência da saúde?; quantas crianças perderam tempo em escolas ineficientes, cuja preocupação é lavar-lhes cerebralmente, na doutrina petista do politicamente correto?; quantas famílias acreditaram que os imóveis, que compravam no Minha casa, Meu suplício, tinham um mínimo de qualidade? Fora o dinheiro sujo das empreiteiras, (que alimentou sua campanha de reeleição) e a derrocada da Petrobras.

Os petralhas insistem  na tese do golpe, depois que, eles sim,  golpearam o Brasil com um direto no queixo, que fará o país rolar no ringue do desemprego e da improdutividade, por algumas décadas.

Sejam patriotas, juntem sua sapiência e vão fazer palestras em Cuba, na Venezuela, na Coreia do Norte, no Equador e na Bolívia.

Adeus, queridos.

General Augusto Heleno
Exército Brasileiro – Reserva